Conecte-se conosco

Colunista | Sirleide Stinguel

Afinal! O tamanho do produto compromete o prazer?

Sirleide Stinguel, é sexóloga, pós graduada em terapia sexual na saúde e educação. Palestrante e professora de artes sensuais

Publicado

em

Apesar do seu enorme papel no imaginário das pessoas, grande mesmo precisa ser o prazer obtido e gerado na relação sexual. Isso tem gerado muita polemica na sociedade, principalmente para quem se acha fora do padrão ou quem encontra alguém e julga aquele ser fora do padrão. Será que o prazer tem padrão?

Uma pesquisa recente, feita com um grupo de 150 mulheres, mostrou que a maioria diz não se importar com o tamanho do pênis e sim com o que ele faz. Tiveram relatos de tamanhos grandes e que machucam e pequenos que fizeram uma mágica incrível. Mas existe também uma quantidade expressiva de mulheres que descartam os homens pelo tamanho (pequeno).

Avaliando anatomicamente a questão, o canal vaginal tem uma profundidade variante de 12 a 15cm, proporcional ao tamanho de um pênis mediano. Então, se o pênis medir 18cm (grande), por exemplo, vai empurrar o útero e não será prazeroso e sim incômodo. Pensando no prazer feminino, o ponto de maior potencialidade de prazer é externo, o clitóris, com mais de oito mil terminações nervosas e que é o carro-chefe orgástico da mulher.

O que existe é um “falocentrismo” excessivo no desenvolvimento da atividade sexual, se resumindo a penetração pênis e vagina, esquecendo-se de outras atividades muitas vezes mais prazerosas. A genitalização excessiva limita a experiência do prazer e isso acontece no campo feminino, que ao tocar o corpo masculino para o prazer, o foco é o órgão genital.

A importância dada ao tamanho poderia ser reflexo de uma exposição cada vez mais precoce a pornografias audiovisuais, que os homens tem um órgão genital grande para poder ser mostrado na atividade sexual? Sim, mas precisamos pensar fora do padrão estipulado, maximizado pela mídia. Vamos pensar no momento real e no prazer de um corpo inteiro.

Um dos pilares da qualidade de vida é a viver a sexualidade de forma prazerosa e segura.

“Este texto não traduz, necessariamente, a opinião do TuBusca Elas encontram”

destaques