Conecte-se conosco

Colunista | Gilmara Caliman

Agora virei mãe, parte 3

Gilmara Caliman é mãe, dona de casa, esposa, empreendedora e, mãe que apoia mães.

Publicado

em

Querida comunidade materna, estamos seguindo nessa historia da minha vida e estou muito feliz e grata por tanto carinho recebido de vocês leitoras. Mesmo com o tempo correndo veloz, estou aqui e estou amando compartilhar minha vida com vocês. Hoje é a continuação da coluna passada, https://tubusca.com.br/agora-virei-mae-parte-2/

E Assim seguimos os meses, dividindo a atenção entre Ester e o peso da barriga, andando igual a uma pata, as contas fechando no limite e a gente pensando como ia pagar o parto, se iriamos para o SUS, o meu desejo era novamente o parto natural, normal, humanizado.

Agora olha só, “quem” começa a colocar os anjos para dentro dessa historia, Deus né garota!
Um dia conversando com minha prima (mãe de duas), falei que a gente estava numa peleja para pagar as contas, que a gente ainda não tinha entendido por que Deus permitiu tudo ao mesmo tempo, cheia dos porquês a gente fica num é?! Eu não estava inconformada, só estava tentando entender o por que ou pra que.

Dois dias depois meu primo, esposo dela, me liga e me chama para conversar, ai pronto, gelei, já pensei cá comigo que ele ia me dar uma lição de moral e etc e tal, assim como mamãe fez comigo.

Cheguei lá quase que escondendo a barriga, e ele me disse que estava precisando de alguém para andar com um pequeno projeto na empresa dele, fácil e rápido de acontecer, se eu aceitaria fazer parte, e eu?! topei na hora e dai ele me entregou um envelope e quando eu abri tinha um valor em dinheiro e ai segue o dialogo:

Eu: o que é isso?!
Primo: dinheiro!
Eu: jura?! Tem tanto tempo que não vejo em minha mãos (Muitos risos)
Ele: vou adiantar seu salário
Eu: – chorando muito – é serio isso?! Não acredito!

Lembro que não tive reação, nem palavras para agradecer. Sai dali quase andando de joelhos para agradecer o que Deus tinha acabado de fazer, usando pessoas reais. Ali eu tive certeza que não estava sozinha, tinha anjos ao meu redor, estava confirmado que Deus estava me vendo lá de cima, eu estava sendo amparada por Maria, a primeira mãe a apoiar mães!

Chego em casa com o dinheiro e Romulo incrédulo (como QUASE todo homem) que aquilo estava acontecendo, que existe sim pessoas dispostas a fazer algo por alguém. No fim ele também agradeceu a Deus.

Comecei a trabalhar, nem sei bem qual era minha função ali, mas eu dei o melhor que eu podia naquele meu momento, eu limpava sorrindo, cortava as fichas sorrindo, arquivava 500 mil papeis sorrindo e com isso juntei exatamente o valor para pagar o parto. Deus sendo Deus!
E todas as noite ia dormir sorrindo e chorando de gratidão e com o coração cheio de amor!

Depois dessa, vou lá lavar minha cara de choro.

Até a próxima amigas-mães!

Beijos maternais

“Este texto não traduz, necessariamente, a opinião do TuBusca Elas encontram”

Fotos: Marcus Lopes

destaques