Conecte-se conosco

Maternidade

Em que momento o recém-nascido deve tomar o primeiro banho?

Até mesmo o banho, um hábito tão normal na rotina adulta, gera inseguranças e incertezas quando falamos de recém-nascidos

Publicado

em

A chegada de um bebê é um momento de novos desafios, dúvidas e aprendizados. Até mesmo o banho, um hábito tão normal na rotina adulta, gera inseguranças e incertezas quando falamos de recém-nascidos. Esse dilema é compreensível, pois, para este grupo, o momento certo da primeira higienização, a frequência e demais cuidados são essenciais para manter a saúde em dia e evitar consequências à pele dos pequenos.

De acordo com a enfermeira obstétrica, Helena White Alves de Oliveira, o banho nos recém-nascidos deve ser compreendido como um hábito de higiene, porém, é preciso considerar alguns requisitos específicos desta fase da vida.

“Segundo a Organização Mundial da Saúde a recomendação é que o primeiro banho ocorra após 24 horas do nascimento, quando o bebê alcança estabilidade térmica”, conta a enfermeira.

Helena explica que o vérnix, aquela massinha branca que o bebê nasce todo envolto, forma uma proteção contra microrganismo, protegendo assim de infecção. Ajuda na regulação térmica e também evita desidratação por ser uma barreira hidratante. “Ajuda a evitar ainda o risco de hipoglicemia, pois quando o bebê nasce e vai tomar banho de imediato ele acaba chorando e se estressando, liberando assim hormônios que diminuem o aporte de açúcar que o bebê recebeu através da placenta”, ressalta.  

Helena é enfermeira obstétrica. Foto arquivo pessoal

Outro motivo para o adiamento é igualmente importante e está relacionado à amamentação. O contato pele a pele da mãe com o bebê aumenta mais o vínculo e favorece a amamentação.

“Além da mãe se recuperar melhor para dar o primeiro banho, o pai também pode participar desse momento aumentando esse vínculo. O cheiro do líquido amniótico que fica no corpinho do bebê favorece a amamentação, o bebê consegue mamar mais rápido”.

Outras recomendações

Após o período, para seguir garantindo a eficácia da barreira cutânea, o ideal é que o sabonete líquido usado seja específico para peles sensíveis de recém-nascidos e de lactantes. Outros cuidados dizem respeito ao tipo do banho, à temperatura da água e à frequência. A orientação é que o banho seja de imersão para promover menor perda de calor e maior conforto ao bebê.

A temperatura da água de estar entre 37 Cº e 37,5 Cº e que o banho dure de 5 a até 10 minutos. Os hidrantes não precisam ficar de fora do cuidado com a pele dos bebês, mesmo no período neonatal. A preferência é que sejam usados após o banho, diariamente ou pelo menos três vezes na semana.

Foto destaque: Guia da Mae Coruja

destaques