Conecte-se conosco

Moda e Beleza

Explante de silicone: seria esse o fim dos implantes mamários?

Conversamos com a Cirurgiã Plástica, Dra Lorena Fregona, que tirou várias dúvidas sobre o assunto.

Publicado

em

A cirurgia de prótese de silicone chegou ao Brasil na década de 1960 e de lá para cá se tornou um dos procedimentos estéticos mais populares do país. É o que aponta o último censo, realizado em 2018, pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. São cerca de 200 mil cirurgias ao ano. Isso significa 18,8% de todas as cirurgias plásticas realizadas em solo nacional. O Brasil é o segundo país que mais realiza esse tipo de cirurgia no mundo.

Nos últimos anos, porém, o que se vê, é um movimento contrário. Mulheres procurando os consultórios para fazer o explante/retirada da prótese. A cirurgiã plástica, Dra Lorena Fregona, diz que a procura pelo procedimento não é recente, mas, nos últimos anos, esse número vem crescendo. No Brasil ainda não existem números oficiais, nos Estados Unidos, campeão desse tipo de cirurgia, o aumento chega a 15%.

“A procura pela cirurgia de retirada de mama não é recente, porém, houve um aumento de mulheres que buscam por essa cirurgia nos últimos anos. A Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica ainda não tem dados sobre o tema. No entanto, segundo a Sociedade Americana de Cirurgia (ASAPS), houve um crescimento de 15% nesse procedimento, nos Estados Unidos, de 2018 para 2019”, explica a médica.

Os motivos para procura pela retirada do silicone, segundo Dra Lorena, são diversos: “Em meu consultório os principais motivos que levaram as pacientes a buscarem o explante de mama foram: o fato de não desejar mais o uso dos implantes, algumas relataram que com a idade ficariam com medo de no futuro não terem saúde para se submeter a cirurgia de troca dos implantes e pacientes com alguma complicação com o uso do implante de silicone”, pontua.

Dra Lorena Fregona é Cirurgiã Plástica e atende em Linhares

A paciente JSP, 54 anos, que prefere não se identificar, procurou a médica para retirada do silicone. Ela é um dos casos em que a paciente optou pelo explante por medo de no futuro não ter saúde para passar pela cirurgia de troca da prótese.

Ela colocou o implante de mama aos 32 anos de idade, fez uma troca aos 44 anos e aos 52 teve um problema de saúde e precisou fazer uma cirurgia. Quando se recuperou dessa cirurgia ela resolveu retirar os implantes por medo de no futuro não ter saúde para realizar as trocas necessárias.  Para ela, naquele momento, os implantes não faziam mais sentido. Ela foi submetida ao explante de mama e mastopexia e ficou super feliz com o resultado da cirurgia”, conta Lorena.

SERIA ESSE O FIM DOS IMPLANTES DE SILICONE ?

Para Dra Lorena a resposta é não. “Sinceramente acredito que não, muitas mulheres ainda sonham com mamas maiores e como os problemas relacionados a presença dos implantes são de ocorrência bem rara”.

DOENÇA DO SILICONE

Doença do silicone é um termo utilizado para descrever alguns sintomas que podem surgir em pessoas com próteses mamárias de silicone, como dor nas articulações, queda de cabelo, alterações psicológicas e cansaço excessivo, por exemplo.

Apesar da doença de silicone ser normalmente referida como sinônimo da síndrome ASIA, Dra Lorena explica que até o momento não existem evidências que comprovem a ligação entre implantes mamários e a chamada doença do silicone.

“Entidades que representam a cirurgia plástica no mundo, como a Sociedade Brasileira e sociedade Americana de Cirurgia Plástica , adotam a mesa postura e enfatizam que, até o momento, não há evidências cientificas definitivas que sustentem a ligação entre implantes mamários e a chamada doença do silicone”

A médica disse ainda que os implantes podem estar associados ao BIA-ALCL (linfoma anaplásico de grandes células) e a Síndrome de Ásia (Síndrome autoimune induzida por adjuvante) tendo como sintomas mais frequentes descritos associados ao silicone, são queixas vagas e inespecíficas – fadiga, dor muscular, dor articular, alteração do sono, boca seca, alteração de memória e atenção, entre outros.

Porém, são eventos bem raros e não existe qualquer menção mundial e proibição ao uso dos implantes de silicone em mulheres“.

Foto principal: Divulgação internet- site Clínica Bella Derme

Foto: Getty Imagens

destaques