Conecte-se conosco

Colunista | Crisley Lassala

Higiene do sono dos bebês

Crisley Lassala é médica pediatra, consultora do sono e especialista em medicina integrativa

Publicado

em

Hoje o assunto vai ser o sono dos bebês, esse assunto tão comentado nas consultas pediátricas e claro, um dos papos recorrentes entre as mães.

Para começar, a higiene do sono nada mais é que um conjunto de hábitos, comportamentos, rituais, condições ambientais e outros fatores que vão permitir facilitar o início e a manutenção do sono adequado a cada faixa etária, além de proporcionar segurança e confiança a criança e com isso uma progressiva independência.

É importante os pais terem em mente que o sono é essencial para o crescimento e desenvolvimento da criança e do adolescente, e que pode influenciar no processo de aprendizagem, memória, atenção, comportamento, desempenho escolar e, portanto, na qualidade de vida tanto da criança, do adolescente e dos pais.

A necessidade de sono vai variar de acordo com a idade, e lembrando que durante o primeiro ano de vida são observadas mudanças drásticas e rápidas na organização do sono.

Portanto, a higiene do sono deverá funcionar como um “fio guia” para ajustar comportamentos, hábitos, rotinas e atitudes que ajudem a promover um sono adequado para a criança/ adolescente e, consequentemente, sua família de forma INDIVIDUALIZADA.

Algumas medidas gerais de Higiene do Sono:

– Rotina diurna que ajude a proporcionar uma boa noite de sono.

 – Regularidade de horários para dormir e acordar do sono noturno e cochilos, tanto em dias escolares como em finais de semana.

– Ritual/rotina para a hora de dormir com sequência de atividades que sinalizem o momento, como banho, massagem, atividades tranquilas, exercícios de relaxamento, desligar luzes. Contudo que seja breve (até 30 minutos) e prazeroso.

– Ambiente físico adequado para o sono: temperatura, luminosidade e silêncio.

 – Evitar uso de telas pelo menos 1 hora antes do horário habitual de dormir.

 – Os pais devem usar a mesma estratégia.

– Objetos de transição (como bonecas, fraldas de pano, cobertores) podem ser utilizados para crianças pequenas.

 – Evitar bebidas (chocolate, café, refrigerante) e medicações que sejam estimulantes perto do horário habitual de dormir.

Lembrando que são dicas gerais, cada criança e família são únicas, cada um com sua individualidade. É necessário um olhar individualizado para ajudar cada família.

Um abraço e até a próxima coluna.

“Este texto não traduz, necessariamente, a opinião do TuBusca Elas encontram”

destaques