Conecte-se conosco

Sobre Elas

Inocência Violada: mulheres da Polícia Civil e advogada lançam livro com histórias de vítimas de violência sexual

Escrito por três policiais civis e uma advogada, obra apresenta casos registrados no Espírito Santo contra crianças e adolescentes

Publicado

em

Escrito pela ex-titular da DPCA, delegada Maria Aparecida Rasseli Sfalsini, a escrivã Marta Silva Vieira da Costa, a agente de polícia Arcangela Pivetta dos Santos e a advogada Ariane Rasseli Sfalsini, o livro “Inocência Violada” conta histórias de fatos criminosos que as autoras tiveram conhecimento enquanto atuavam na DPCA.

O livro, escrito por especialistas neste tipo de ocorrências, é uma é uma coletânea de crônicas com histórias sensíveis e busca chamar a atenção da sociedade para um tema grave que é a agressão contra crianças e adolescentes.

Foram três anos de trabalho investigativo, que envolveu a análise de casos de abuso e violência sexual contra crianças e adolescente. O objetivo é orientar as famílias sobre as possíveis violências que esse público pode estar sofrendo.

Para proteger os personagens, sem expor a identificação de vítimas, autores, épocas e locais, a narrativa traz realidade e ficção.

Perfil do abusador sexual

Impactante e atual, o tema é tratado com uma linguagem simples. A ideia é ser de fácil entendimento para toda a população ou, ao menos, à maior parte dela.

Ao longo de suas 145 páginas, são revelados importantes sinais e riscos que uma vítima pode correr. Também destrincha os possíveis motivos que levaram a este tipo de violência, a partir do perfil do predador ou abusador sexual – geralmente pessoas acima de qualquer suspeita.

Maria Aparecida Rasseli Sfalsini, uma das autoras, que foi delegada de polícia por 20 anos, diz que todos os dias crianças e adolescentes são abusados. A maioria dos casos acontece no meio familiar ou entre conhecidos, passando, muitas vezes, despercebidos, e daí a relevância da sociedade ter conhecimento sobre este assunto.

Saber onde e como acontece essa violência; como a criança ou adolescente se comporta quando é vítima de abuso sexual; quem pode ser o abusador; o papel de quem descobre uma vítima de abuso. São questões importantes e que podem ajudar a identificar situações de violência”, explica.

Para ela, é preciso que o tema seja visto como prioridade e que se busque alternativas e soluções para que os abusos não sejam tratados apenas sob o ponto de vista da tipificação e aplicação da lei.

Também é imprescindível oferecer o acolhimento, o carinho e o respeito que essas indefesas vítimas tanto necessitam a fim de mitigar, ao máximo, as graves consequências que a violência provoca em suas vidas”, acrescentou.

A autoras

Maria Aparecida Rasseli Sfalsini – Delegada de polícia por 20 anos, graduada em Direito, pós-graduada em Direito Civil e Processo Civil, trabalhou como coordenadora na Defensoria Pública do Espírito Santo de 1999 a 2001. Nascida em Santa Teresa (ES), atualmente faz palestras sobre “violência contra a mulher e contra a criança e adolescente”.

Marta Silva Vieira da Costa – Funcionária Pública Estadual aposentada, nascida em Vitória (ES), foi escrivã da Polícia Civil do ES por 19 anos, em unidades como a Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente. Como presidente da Fraternidade Feminina Acácia Vilavelhense, coordenou, de 2009 a 2011, o projeto “Uma Oportunidade para Muitas”, qualificando mulheres para o mercado de trabalho. Atualmente cursa Ciências Humanas.

Arcangela Pivetta dos Santos – Graduada em Serviço Social pela Universidade Federal do Espírito Santo – UFES – no ano de 1999, com experiência na Empresa Vale do Rio Doce; no IFES /ES; na Prefeitura Municipal de Cariacica, nas seguintes áreas: Terceira Idade, Saúde Mental, Projetos de Implantação Habitacional. Atuou como voluntária na Fundação Manoel Passos Barros. Aprovada em concurso público no cargo de Investigadora de Polícia Civil do ES, passou a exercer suas atividades na DPCA – Delegacia de Proteção à Criança e Adolescente, onde desenvolveu um atendimento as vítimas de Abuso Sexual (no período de sete anos), formada no Curso Livre de Formação em Psicanálise Clínica pela ABPC. Atualmente realiza suas atividades profissionais na Secretaria de Estado de Segurança e Defesa Social – SESP. Nasceu na cidade de Vitória/ES, residente no município de Cariacica.

Ariane Rasseli Sfalsini – Advogada, nascida em Colatina (ES), graduada em direito, pós-graduada em Ciências Criminais pela Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul), atuou como juíza leiga pelo Tribunal do Espírito Santo em 2020. Atualmente exerce advocacia na área criminal.

Fotos divulgação

Anúncio
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

destaques