Conecte-se conosco

Moda e Beleza

Saiba por que a Covid-19 afeta os cabelos e como tratá-los

Dermatologista explica por que muitos infectados pelo novo coronavírus relatam perda de cabelos mesmo após a cura da doença e como é feito o tratamento dos fios.

Publicado

em

Estudos realizados por pesquisadores de universidades dos Estados Unidos, do México e da Suécia revelaram que cerca de 80% dos infectados pelo novo coronavírus ainda sentem algum sintoma semanas após a cura. É a chamada “Síndrome Pós-Covid”, que também é conhecida como “Covid longa”, “Covid persistente” ou “Covid prolongada”. Um dos sintomas mais comuns é a perda de cabelo, relatada por 25% dos 48 mil pacientes acompanhados.

Segundo a dermatologista Isabella Redighieri Grando, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e da Academia Americana de Dermatologia (AAD), o vírus causador da Covid-19 é um gatilho para o eflúvio telógeno. O termo é utilizado por especialistas para se referir à queda transitória dos fios de cabelo.

“O eflúvio telógeno altera o ciclo de crescimento do cabelo, que entra em fase de queda repentinamente. Esse quadro é comum e esperado após situações como estresse físico ou emocional, falta de vitaminas e déficit de nutrientes causado por dietas restritivas, emagrecimento repentino e traumas pós-cirúrgicos”, explica a dermatologista.

Normalmente, o ser humano perde cerca de cem fios por dia. Após contrair e se recuperar da Covid-19, no entanto, essa quantidade pode dobrar. A queda de cabelo é transitória e dura três meses, aproximadamente, mas os fios podem nascer mais finos e acentuar situações pré-existentes, como a calvície.

Dermatologista Dra. Isabella Redighieri Grando

“Se esse quadro se cronifica, o paciente percebe uma perda de densidade, diminuição no volume do cabelo e o couro cabeludo fica visível. Para mulheres, isso é muito traumático. Já para pessoas com predisposição à calvície genética, o eflúvio telógeno pode ser um agravante por acelerar o processo de rarefação dos fios”, alerta a especialista.

O tratamento para essa queda transitória pode durar de três meses a um ano e envolve reposição de vitaminas, nutrientes e minerais específicos e utilização de produtos para melhorar a microcirculação e oxigenação do bulbo folicular. Em algumas situações, o paciente também usa medicamentos anti-inflamatórios, visto que a Covid-19 é uma doença inflamatória e o controle da inflamação pode auxiliar no processo de perda dos fios de cabelo. Durante esse período, processos químicos como colorações e alisamentos não são recomendados.

O tratamento precisa ser individualizado e personalizado pois a complexidade clínica envolvendo o Covid-19 é grande, mas de modo geral objetivo do tratamento é acelerar a recuperação dos fios, melhorando a espessura, e diminuir as chances de progressão de outros tipos de calvície, tanto masculina quanto feminina. O cabelo vai crescer mais forte e terá uma melhor ancoragem no bulbo capilar”, explica a dermatologista.

destaques