Conecte-se conosco

Sobre Elas

Série Especial Outubro Rosa: Tecnologia do bem

Brasileira que mora na Europa conta experiência da aproximação da família e amigos, por meio da internet, durante o tratamento do câncer de mama

Publicado

em

Morando desde agosto de 2019 em Legnano, na região da Lombardia, a 600 quilômetros de Roma, na Itália, a brasileira Marilangela Vargas Santos, (45), descobriu, por meio do autoexame da mama, um caroço no seio direito em agosto de 2020.

Sentindo dores fortes no seio, Mara, como é mais conhecida, procurou a médica da família no início deste ano. Após vários exames, inclusive uma biopsia, a constatação do mastologista: era um tumor e precisava de fazer cirurgia para confirmar ou não se era mesmo um câncer.

nO MOMENTO DA DESCOBERTA DA DOEÇA O APOIO DO MARIDO FOI FUNDAMENTAL

No início de maio Mara passou pela cirurgia para retirada do quadrante superior esquerdo da mama, procedimento chamado de “quadrantectomia”, que confirmou a doença.

Apesar da distância, Mara que mora na Itália com o marido e a filha, diz que a tecnologia foi uma aliada e tanto para superar a distância em meio a uma doença tão séria.

Angela Vargas, mãe da Mara, que mora em Vitória, na capital capixaba, diz que para ela a internet foi fundamental ao longo de todo tratamento, e não sabe como teria sido, passar por tudo, sem esse recurso. Ela conta que, mesmo com a diferença de fuso horário, acompanhou tudo praticamente em tempo real.

Graças a Deus pela internet. Ela foi fundamental, não sei como teria sido se não fosse a internet. Onde eu estou falo com ela, vejo ela por chamadas de vídeo, isso me ajudou e me ajuda, ficar perto dela mesmo estando tão longe fisicamente. Quando ela fez as quimioterapias eu acordava de madrugada, cinco horas de diferença de horário, e ela me ligava e eu pude acompanhar tudo, graças a Deus”.

Missão de vida

Já na fase da radioterapia, após quatro sessões de quimioterapia, Mara diz que o sentimento é de alívio e gratidão. Para ela sua missão é falar do autoexame para o maior número de mulheres possível.

“Me sinto aliviada. Sentimento de gratidão a Deus! Por ter me dado a oportunidade de continuar a viver. E que tenho a missão de falar para o maior número de mulheres a importância do autoexame nos seios”.

destaques